NATAL: ORIGEM E SIGNIFICADO

December 14, 2017

 

 

O Natal é cristão ou pagão?

 

Jesus nasceu no dia 25 de dezembro? Papai Noel existe? De onde ele veio?

E os enfeites de Natal, a árvore, as guirlandas, as luzes, o que querem dizer? Você já parou para pensar nisso?

Em 25 de dezembro é comemorado o Natal, um dos dias mais importante do Brasil e das Nações da Terra.

Mas o Natal é uma festa pagã e, sendo uma festa pagã, não tem a aprovação de Deus.

A celebração de Natal não vem por um decreto bíblico, nem de Jesus, nem de seus discípulos.

Por essa razão, nós cristãos, não devemos comemorar o natal de 25 de dezembro.

Para muitos não é agradável ouvir isso, pois o natal é uma tradição na vida e família de muitos.

Entretanto, o meu objetivo não é causar censura, mas esclarecimento de algumas práticas do meio cristão que ainda estão presas ao paganismo.

Tais práticas foram inseridas em nossa cultura de tal forma que não questionamos sua origem ou razão de existir, e as praticamos sem reflexão alguma.

 

Papai Noel

 

Papai Noel não é um santo, é um ídolo.

E você só tem um pai, que é Deus. Não podemos receber Noel no lugar de Deus! Nós só temos um Pai espiritual.

Papai Noel está associado a “São Nicolau”, um Bispo romano que viveu no século V.

Na Enciclopédia Britânica, vol. 19, páginas 648,649, 11ª edição inglesa, consta o seguinte: “São Nicolau, Bispo de Mira, santo venerado pelos gregos e latinos, no dia 6 de Dezembro… A lenda de suas dádivas oferecidas às escondidas, de dotes, às três filhas de um cidadão empobrecido…”

No dia de São Nicolau, 6 de Dezembro, por causa da prática de dar presentes às escondidas, surgiu o famoso amigo oculto, hoje realizado em 25 de Dezembro, Natal. Exatamente como fazia Saint Klaus, o velho Noel!

Daí surgiu a tradição de colocar presentes às escondidas junto às árvores de Natal!

 

A Árvore de Natal

 

Um dos símbolos mais marcantes do Natal é a árvore de natal, mas geralmente um pinheiro é um altar pagão.

Qual é a origem da arvora de natal?

A Enciclopédia Barsa diz textualmente: “A árvore de Natal é de origem germânica, datando do tempo de S. Bonifácio (cerca de 800 d.C.). Foi adotada para substituir os sacrifícios ao carvalho sagrado de ODIM (deus germânico, demônio das tempestades), adorando-se uma árvore, em homenagem ao deus-menino”.

A árvore de Natal ressuscita um deus pagão chamado Ninrode e faz reviver Talmuz. No ocultismo ou nas religiões orientais, os espíritos dos antepassados são invocados por meio de uma árvore.

Está escrito em Jeremias 10:3-4: "Porque os costumes dos povos são vaidade; pois cortam do bosque um madeiro, obra das mãos de um artífice, com machado; com prata e com ouro o enfeitam, com pregos e martelo o fixam para que não oscile." O restante do capítulo mostra a dura exortação que Deus dá ao Seu povo, porque trouxe para dentro de casa um costume de povo pagão. A árvore de Natal é um ponto de contato que os deuses gostam. Os ocultistas creem que as pessoas são energizadas através das árvores. Nenhum crente coloca conscientemente em sua casa um trono a Baal. O diabo trabalha com ocultismo, por isso muitas de suas insinuações são encobertas, ocultas.

 

Guirlandas

 

São memoriais de consagração. Podem ser entendidas como enfeites, oferendas, ofertas para funerais, celebração aos deuses, nos esportes, das vítimas que eram sacrificadas aos deuses pagãos. Para tudo isso, serviam as guirlandas. Essas coroas verdes que colocávamos nas portas da nossa casa para dar as boas vindas significam um adorno de chamamento e legalidade de entrada de deuses. São símbolos relacionados ao deus Apolo, trazem honra a Zeus, homenageiam a Demeter que em latim é Ceres, ou seja, Semírames, a mãe de Tamuz, mãe e esposa de Ninrode.

No Egito, aparece como Ísis e Osíris; na Índia, como Isva e Isvra; na Ásia, como Cibele e Dionísio; em Roma, como Fortuna e Júpiter; na Grécia, como Irene e Plutos; na Babilônia, como Semírames e Ninrode. Todos eles exigiam as guirlandas.

Mas não há relatos na Bíblia de que Jesus tenha recebido guirlandas no seu nascimento, porque em Israel já era sabido que fazia parte de um ritual pagão. Só existe uma guirlanda de espinhos feita por Roma, para colocar na cabeça de Jesus no dia da Sua morte como símbolo de escárnio.

 

Velas

 

A vela é um ritual pagão dedicado aos deuses ancestrais; a vela acendida está fazendo renascer o ritual dos solstícios, mantendo vivo o deus sol. Para quem estuda o paganismo, as velas são chamadas de demônios; é a simbologia de manter os demônios vivos. As velas não têm relação alguma com as luzes do candelabro judaico – Menorah. As velas consagradas a demônios são de base perigosa. Estamos nos referindo às velas dos rituais profanos. Não devemos generalizar. Você não precisa deixar de usar velas, quando necessário, para alumiar ambientes ou como decoração.

 

Presépio

 

O presépio é um altar a Baal, consagrado desde a Antiguidade babilônica. É um estímulo à idolatria. São Francisco, no séc. XVIII, enquanto um dos líderes da Igreja Católica, instituiu o presépio para lembrar as festividades natalinas, na verdade uma convocação que leva o povo a ficar com a fé limitada ao material, ao que é palpável.

As figuras utilizadas são intencionais. Por esses e outros motivos, temos que tomar posições. O presépio é um altar consagrado, é um incentivo à idolatria, é uma visão pagã.

 

Dizem que Jesus nasceu em 25 de Dezembro. O fato é verdadeiro?

 

Jesus é e será sempre o motivo principal e único de nossas celebrações.

Isaías 42:8, diz: “Eu sou o Senhor; esse é o meu nome! Não darei a outro a minha glória nem a imagens o meu louvor.”

Deus não divide a Sua glória com ninguém! Por essa razão, tudo que realizamos, celebramos, deverá sempre ser para a Sua glória.

Ao contrário do que é ensinado, as referências bíblicas afirmam que Jesus não nasceu em dezembro, mas em outubro, em plena Festa dos Tabernáculos. Por isso, não podemos ficar presos a uma comemoração de origem pagã. Roma disseminou essa mentira em todas as Nações da Terra. Mas à luz da bíblia, que é a palavra de Deus única e suprema, você conhecerá a verdade.

 

Fatos que refutam, contestam o nascimento de Jesus em 25 de dezembro

 

Quem conhece a região de Israel sabe que dezembro é época de inverno e ninguém fica exposto ao tempo.

O texto de Lucas 2:1-21 é muito claro acerca do local e da época em que Jesus nasceu. O v. 8 diz que os pastores estavam no campo durante a noite e tomavam conta dos seus rebanhos. E no final de outubro e início de novembro os pastores não estão mais no campo, pois já é declarado inverno, tempo em que é inseguro e desconfortável para o rebanho ficar no campo. Só por esse relato, já poderíamos dizer que Jesus não nasceu em dezembro, pois não ficaria exposto numa manjedoura.

O segundo fato relevante é que Jesus nasceu em Israel, especificamente em Belém da Judéia. Na época do nascimento de Jesus, José e Maria estavam ascendendo a Jerusalém porque eram descendentes de Davi. Vemos José e Maria ascendendo à sua cidade natal por causa do recenseamento pedido por César Augusto (Lc 2:1). Certamente Cesar não iria convocar o povo para isso durante o inverno, devido aos rigores do frio.

Mas José não iria expor sua esposa grávida ao desconforto de uma viagem a céu aberto em pleno inverno. Jesus nasceu em Belém para se cumprir a profecia.

“2 Mas tu, Belém-Efrata, embora pequena entre os clãs de Judá, de ti virá para mim aquele que será o governante sobre Israel. Suas origens estão no passado distante, em tempos antigos. 3 Por isso os israelitas serão abandonados até que aquela que está em trabalho de parto dê à luz. Então o restante dos irmãos do governante voltará para unir-se aos israelitas. 4 Ele se estabelecerá e os pastoreará na força do Senhor, na majestade do nome do Senhor, o seu Deus. E eles viverão em segurança, pois a grandeza dele alcançará os confins da terra”. Miquéias 5:2-3

Além do já exposto, sabemos que João Batista era seis meses mais velho que Jesus. (Lucas 1:36) Zacarias, pai de João Batista, era sacerdote e pertencia ao grupo sacerdotal de Abias. (Lucas 1:5)

O calendário é um calendário lunar, ou seja, baseado no movimento da lua.

O ano é composto por 12 meses, cada início do mês coincide com o primeiro dia da lua nova.

 

CALENDÁRIO JUDAICO

 

 

De acordo com calendário Judaico, o mês de ABIBE (o primeiro mês) coincide com mês de março.

Êxodo 23:15, diz: "Celebrem a festa dos pães sem fermento; durante sete dias comam pão sem fermento, como eu lhes ordenei. Façam isto na época determinada do mês de abibe, pois nesse mês vocês saíram do Egito. Ninguém se apresentará a mim de mãos vazias.”

Então, o mês de Abibe, o mês da Páscoa, é o primeiro mês do ano.

Zacarias pertencia ao grupo sacerdotal de Abias, portanto, exercia seu turno em julho.

1º Crônicas 24:10, diz: “a sétima para Hacoz, a oitava para Abias.”

 

Com todos estes dados, resumindo...

 

João Batista foi gerado depois do período em que os sacerdotes do turno de Abias serviam no templo, ou seja, julho. Então, Isabel engravidou em julho e João Batista nasceu em abril, Jesus nasceu seis meses mais tarde, conforme o texto bíblico abaixo.

 

Lucas 1:5-13;23-31;36.

 

“5 No tempo de Herodes, rei da Judéia, havia um sacerdote chamado Zacarias, que pertencia ao grupo sacerdotal de Abias; Isabel, sua mulher, também era descendente de Arão.

6 Ambos eram justos aos olhos de Deus, obedecendo de modo irrepreensível a todos os mandamentos e preceitos do Senhor.

7 Mas eles não tinham filhos, porque Isabel era estéril; e ambos eram de idade avançada.

8 Certa vez, estando de serviço o seu grupo, Zacarias estava servindo como sacerdote diante de Deus.

9 Ele foi escolhido por sorteio, de acordo com o costume do sacerdócio, para entrar no santuário do Senhor e oferecer incenso.

10 Chegando a hora de oferecer incenso, o povo todo estava orando do lado de fora.

11 Então um anjo do Senhor apareceu a Zacarias, à direita do altar do incenso.

12 Quando Zacarias o viu, perturbou-se e foi dominado pelo medo.

13 Mas o anjo lhe disse: "Não tenha medo, Zacarias; sua oração foi ouvida. Isabel, sua mulher, lhe dará um filho, e você lhe dará o nome de João.

23 Quando se completou seu período de serviço, ele voltou para casa.

24 Depois disso, Isabel, sua mulher, engravidou e durante cinco meses não saiu de casa.

25 E ela dizia: "Isto é obra do Senhor fez! Agora ele olhou para mim com favor, para desfazer a minha humilhação perante o povo. "

26 No sexto mês Deus enviou o anjo Gabriel a Nazaré, cidade da Galiléia,

27 a uma virgem prometida em casamento a certo homem chamado José, descendente de Davi. O nome da virgem era Maria.

28 O anjo, aproximando-se dela, disse: "Alegre-se, agraciada! O Senhor está com você! "

29 Maria ficou perturbada com essas palavras, pensando no que poderia significar esta saudação.

30 Mas o anjo lhe disse: "Não tenha medo, Maria; você foi agraciada por Deus!

31 Você ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe porá o nome de Jesus.

36 Também Isabel, sua parenta, terá um filho na velhice; aquela que diziam ser estéril já está em seu sexto mês de gestação.”

 

Quando Isabel estava com seis meses de gravidez, Maria engravidou de Jesus.

Quando João Batista nasceu, Maria estava com três meses de gravidez, ou seja, faltavam seis meses para Jesus nascer

Contem comigo: (maio, junho, julho, agosto, setembro, outubro)

Pergunta: Jesus nasceu em dezembro ou em outubro?

Jesus nasceu outubro, portanto, em plena "Festa dos Tabernáculos."

Como falei no inicio, esta mensagem tem como objetivo trazer esclarecimento.

 

Agora que você entendeu sobre a origem do Natal e que Jesus não nasceu em dezembro como diz Roma, aja de maneira correta. Não permita que uma mentira se torne realidade em sua vida. Portanto, fuja da idolatria. Assim diz a Palavra em 1ª Coríntios 10:14-15. Vamos resgatar as nossas origens cristãs!

 

 

Deus os abençoe!

Apóstolos Tião e Marlene Veloso

Please reload

Últimos Posts

Crianças: a igreja do futuro, mas também a igreja de hoje!!!

September 2, 2018

1/2
Please reload

Posts Recentes

June 8, 2020

Please reload

Tags
Please reload

Redes Sociais
  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • Google Classic

AV. RECANTO DAS EMAS, QUADRA 304, LOTE 06 | RECANTO DAS EMAS | BRASÍLIA/DF

MINISTÉRIO DE COMUNICAÇÃO MGA © 2017 SR TODOS OS DIREITOS RESERVADOS